MENU

Livros do Prof. Jorge Melchiades

Caminho de Evolução

O Pardal Tarado

Palmadas no Lacaio

Maria das Dores

Nossa Posição - 3 Anos de Editoriais

Quem é Você?

Quem sou Eu?

Como Interpretar Sonhos

Um Anjo Muito Malandro

Nós, Freud e o Sonho

Seja Feliz Já

Vídeos - Psicologia Racional

Um presente para você !

Clique aqui e faça o download do livro "Nós, Freud e o Sonho" do Prof. Jorge Melchiades Carvalho Filho

Ótima oportunidade ao leitor, de conhecer alguns conceitos básicos da teoria freudiana através de uma sintética, interessante e revolucionária versão não materialista. Ao relatar O SONHO que teve com o criador da Psicanálise, o autor vai expondo, de maneira acessível a qualquer pessoa interessada, os passos primordiais para o início de uma ANÁLISE pessoal, que leve em conta os anseios mais PROFUNDOS da alma.

Outros Livros do Nupep

mais artigos do Prof. Jorge Melchiades

O OVO OU A GALINHA?

Há um hábito muito humano de se dizer e de se fazer coisas impensadas, gerando ao redor, muitas vezes, reações indesejadas. Um ator de televisão, por exemplo, dirigindo-se ao público telespectador, disse: “De nada adianta você reclamar da corrupção dos governantes em seu país, se você sonega impostos, fica com o troco a mais que lhe é devolvido, busca vantagens indevidas...”. Talvez esse artista quisesse dar uma lição de moral, mas só fez arranjar uma DESCULPA muito sem-vergonha para paralisar a ação popular, já que, após consultar seu íntimo, o telespectador pode chegar à conclusão de que realmente NÃO ADIANTA RECLAMAR...

É com frases infelizes como essas que se ajuda a manter a continuidade de todos os erros na administração de uma nação. Ainda que mal comparando, Jesus paralisou os que cumpriam a LEI judaica daquela época, quando iam atirar pedras na prostituta, lembrando-os que ninguém estava livre do pecado.

Como de fato, em outras palavras, o artista disse: “Se o povo é corrupto, aqueles que o representam só podem ser corruptos!”, ou ainda: “A causa da existência de políticos corruptos está no povo...“ Acontece que, generalizar desse modo, a falta de moral para todos, sem exceção, é espalhar o pessimismo, o pânico e a desesperança aos que, sem essa influência paralisante, poderiam buscar soluções para os problemas. Portanto, esse tipo de azarão, pensa sob a perspectiva de que: “Em terra de cegos, quem tem um olho bom não enxerga um pouco mais; também é cego”.

Ora, é lógico concluir que, se a causa da corrupção está no povo e o regime democrático implica na eleição de seus representantes, então, JAMAIS esse povo se livrará dos corruptos do governo, ainda que mude de regime político. Porém, se pensarmos inversamente, ou que a causa da corrupção crassa começa com os políticos instalados no poder, então, o povo que deseja preservar a democracia conquistada com tanto sangue e sacrifício, pode se revoltar e exigir a expulsão e a prisão deles. Ou seja, um diferente modo de pensar pode levar a boas soluções...

Agora, se o povo, por ignorância ou inércia, não se incomoda em perder os direitos democráticos e é levado, por meio de mentiras, a outro tipo de regime, está se deixando castrar docilmente e definitivamente do direito de protestar e de substituir os governantes por meio do voto. Neste caso, a conclusão mais inteligente é a de que, na verdade, a maioria desse povo, corrupta ou não, adora se submeter a mentirosos e, portanto a corruptos.

Acontece que, ao analisar a frase do ator, pode-se cair em um falso problema, constantemente repetido por pessoas desatentas, que é: “O que surgiu primeiro, o ovo ou a galinha?” É obvio que quem pergunta isso, embora faça uma cara de esperto, fugiu da escola e não estudou sobre a evolução biológica, que esclarece como as aves apareceram no planeta após os peixes e os anfíbios, que são animais ovíparos. Por conseguinte, o ovo surgiu primeiro que a galinha, e na nação em questão, os primeiros a se corromper (a apodrecer moralmente) são os que exercitam a liderança política, pois foram eleitos com o DEVER de elaborar as LEIS capazes de inibir a corrupção, inclusive a própria, e de fazer com que elas fossem cumpridas, para que não houvesse a IMPUNIDADE geradora de todo o mal da nação.

Logo, uma verdadeira JUSTIÇA não admite a IMPUNIDADE e por isso pode libertar a nação dos crápulas aproveitadores e oportunistas. E o primeiro e mais importante princípio de uma boa JUSTIÇA é aquele que faz imperar a razão e a VERDADE nos julgamentos. Isto porque a MENTIRA é a primeira forma de degradação da MORAL e deve ser repudiada por todo aquele que enxerga um pouco melhor que a maioria, já que ela destrói a confiança entre os homens, nas instituições e no futuro...

Por outro lado, já que aqui foram mencionados alguns jargões populares, digamos que “dar a cada um na medida de seu merecimento” é uma boa sugestão para se pensar em uma JUSTIÇA ECONÔMICA E POLÍTICA que seja verdadeiramente JUSTA em qualquer país.

 

 

Prof. Jorge Melchiades Carvalho Filho

Publicado na Folha Nordestina – edição de agosto - 2013

mais artigos do Prof. Jorge Melchiades